Daytripper

 

daytripper01

Benedito — “‘Não senhora’, respondeu a Razão. ‘Estou cansada de lhe ceder sótãos, cansada e experimentada… o que você quer é passar mansamente do sótão à sala de jantar… daí à de visitas e ao resto.’

‘Está bem, mas deixe-me ficar um tempo mais… Estou na pista de um mistério…’

‘Que mistério?’

‘De dois’, emendou a Sandice. ‘O da vida e o da morte… Peço-lhe só uns dez minutos.’

A Razão pôs-se a rir.”

Miguel — Papai! Que bom que você veio! O vovô disse que você ia me contar uma história.

Brás — Disse, é?

Miguel — É, mas ele não disse sobre o que era.

Ele falou que só você sabia.

Brás — Bom, acho… Acho que é uma história sobre a morte.

Miguel — ” A morte”?

Brás — Na verdade é sobre a vida… mas a morte tem um papel importante.

Miguel — Eu não gosto da morte.

Brás — Ninguém gosta. Mas a verdade, goste ou não… é que todo mundo morre.

A vida é como um livro, filho. E todo livro tem um fim. Não importa o quanto você goste do livro… você vai chegar na última página… e ele vai terminar. Nenhum livro é completo sem o fim. E quando você chega lá… somente quando você lê as últimas palavras… é que você vê como o livro é bom. Ele parece mais real.

Agora vá se divertir. Preciso conversar com o vovô.

Eu não vou acordar, não é?

Benedito — Eu acho que não.

Brás — Por quê? O que aconteceu?

Benedito — Não importa. A verdadeira pergunta é…você quer continuar sonhando?

Brás — Eu tenho escolha?

Benedito — Você sempre tem escolha.

Brás — E agora?

Benedito — Bom, é só imaginar onde você quer estar… e ler a história até o fim.

Meu nome é Brás de Oliva Domingos, e eu sou um sonhador. Não sei dizer que idade tenho, mas apenas que sou jovem demais para questionar se no passado fiz as perguntas certas, e velho demais para esperar que o futuro traga todas as respostas. 

Nos meus sonhos, sou o escritor da minha própria história, embora nunca escreva sobre mim mesmo, sendo este obituário a primeira e única exceção. 

Os lugares para onde meus sonhos me levam, não importa se nunca estive lá ou se nunca estarei… me ajudam a entender de onde venho… e para onde eu quero ir. 

Então o que meus sonhos me mostram mesmo é o que a minha vida pode ser quando eu abrir meus olhos. 

Meus sonhos me dizem quem eu sou.

Meu nome é Brás de Oliva Domingos.

Essa é a história da minha vida.

Respire fundo, abra os olhos e feche o livro. 

 

Daytripper, de Fábio Moon e Gabriel Bá.

(Barueri: Panini Books, 2011, p. 218-226.)

 

… que eu poderia chamar também de “uma das coisas mais lindas que meus olhos tiveram a graça de ver esse ano”.

Anúncios